A gente já falou sobre esse assunto aqui, mas a Facilitação Gráfica é um tema que não cansa de aparecer e render boas conversas aqui na Make. Depois de explicar o que é a técnica e alguns motivos para você aderir, é hora de mostrar o lado prático dessa história.

Aproveite, então, as nossas 8 dicas para começar a usar a Facilitação Gráfica no seu dia a dia:

Escolha a plataforma que mais combina com você

Algumas pessoas preferem escrever à mão, em um caderno – e até fazem coleções com todos os seus blocos de notas. Para quem quiser investir em cadernetas e bloquinhos legais, o Colab55 aposta na economia colaborativa para criar produtos lindos. Mas, se você quer aliar facilitação gráfica e tecnologia, pode optar por apps como OneNote, Evernote, o aplicativo oficial da Moleskine, o site Canva, e o Office Sway da Microsoft.

Mantenha seu bloco de anotações sempre por perto

Depois de escolher a ferramenta ideal para anotar suas ideias, deixe-a sempre à mão, dentro da bolsa ou em um lugar fácil de encontrar no escritório. Assim, quando precisar fazer anotações e organizar seu mapa mental, você já vai estar preparada. Imagine perder um bom insight ou aquela frase incrível em uma reunião, ao sair em busca de papel e caneta?

cm08_16_weird_dara-simkin_web-1024x861

Trabalho realizado pela empresa Think In Colour

Faça exercícios práticos

Comece a treinar seus desenhos e textos com anotações de uma aula na faculdade, palestra, reuniões do trabalho ou até mesmo fazendo um resumo do filme que acabou de assistir. Quanto mais você exercitar a mente e a escrita, mais fácil vai ficar o processo de associação de ideias e representação visual de conceitos.

Busque referências visuais

Navegue pelo Pinterest, Behance e Instagram para se inspirar em modelos de tipografia, desenhos e símbolos gráficos. Encontrar modelos de facilitação gráfica online também pode ajudar você a criar seu próprio estilo ou descobrir quais são os recursos que quer explorar nas suas anotações.

visual-notetaking

Alie textos e desenhos

Você pode explorar técnicas de lettering, formatos diferentes em suas letras, utilizar cores para destacar e mudar a maneira como posiciona o texto na página – em vez de seguir as linhas, que tal criar alguns blocos de texto verticais? Entre as letras, insira flechas, bonecos palito, esquemas e desenhos simples, que ajudem a compreender melhor o que está sendo anotado.

 

Converse com outras pessoas sobre a técnica

Mostrar suas anotações e falar sobre facilitação gráfica com alguém pode ajudar muito você na hora de se aperfeiçoar. Deixe seu caderno com uma amiga, descubra se o que você escreveu está compreensível e vá atrás de opiniões que agreguem boas ideias ou até façam as pessoas compartilharem seu conteúdo visual.

Graphic Recording feita por  Eva Lotta Lam

Graphic Recording feita por Eva Lotta Lam

Saiba como você aprende

Se você, ao fazer desenhos, acaba perdendo a atenção e quer deixar tudo detalhado demais, talvez seja melhor explorar outras formas de anotação; se você prefere ouvir primeiro e depois recapitular o que absorveu, anotar tudo de uma vez pode ser uma má ideia. Descobrir qual é a sua forma de aprender e adquirir conhecimento é fundamental, porque ajuda você a criar anotações dentro do seu ritmo, de acordo com o funcionamento da sua mente e de uma maneira realmente produtiva.

Procure cursos para se especializar na técnica

Se interessou por Facilitação Gráfica e quer saber como deixar os desenhos, textos e representações ainda melhores? Procure cursos voltados à técnica em sua cidade! Diversas escolas especializadas e cursos de design, economia criativa e até mesmo tecnologia estão aderindo a esse recurso e colocando a Facilitação Gráfica como parte do currículo.

Comentários

Comentários