O conhecimento é muito dinâmico e cada pessoa aprende de um jeito diferente. Você provavelmente tem uma amiga que consegue assimilar informações enquanto escreve, outra que prefere ouvir com muita atenção ou, ainda, aquela colega que ama criar mapas mentais para associar diferentes conceitos. E, é claro, você mesma tem a sua própria maneira de anotar, compreender e transmitir o que sabe.

Mas, dependendo de como as informações são apresentadas, o conhecimento pode se tornar chato – e é aí que entra a facilitação gráfica. Esse método une diferentes formas de aprendizagem e acaba com a monotonia em palestras, anotações, reuniões, workshops e qualquer ambiente que você possa imaginar.

Facilitar o quê?

Facilitação visual, registro gráfico, colheita gráfica ou desenho de ideias. O nome varia bastante, mas a facilitação gráfica é um método inovador para associar ideias e assimilar informações durante diferentes eventos.

O objetivo é criar uma espécie de mapa mental, usando e abusando de textos, gráficos e desenhos, para deixar uma conversa ou reflexão muito mais fácil de compreender. Construída em tempo real com o interlocutor, a facilitação gráfica elimina as informações irrelevantes e centraliza o conhecimento essencial em uma mesma plataforma, de uma maneira bonita e completamente visual.

facilitacao-grafica

Exemplo de facilitação gráfica, criada pelo portal Think in Colour

E por que eu deveria usar a facilitação gráfica?

Já pensou em criar cadernos, atas de reunião, apresentações de slides e brainstorms muito mais legais, seja na sua empresa, no plano de negócios para um novo empreendimento, nos projetos da faculdade ou durante aquela palestra superinteressante?

A facilitação gráfica pode se tornar a sua aliada, porque:

Potencializa o aprendizado

A linguagem visual que esse método propõe ajuda a fazer registros que vão direto ao assunto. Isso melhora a associação de ideias, fazendo com que você aprenda de um jeito muito mais fácil.

Estimula a conexão de ideias

Ao usar a facilitação gráfica, você coleta pensamentos, insights, palavras-chave e ideias em debate. O painel gráfico ajuda a conectar todas as informações ao tema da conversa e, também, às suas próprias opiniões sobre o assunto.

É uma maneira cativante de ganhar a atenção do público

A facilitação gráfica é construída em tempo real, com a participação de todos os ouvintes, autores e palestrantes. Esse registro – principalmente se você é a porta-voz em uma palestra ou reunião – ajuda a elencar os principais tópicos de uma maneira divertida, interessante e fácil de acompanhar, mantendo o seu público muito mais atento.

Estimula a criatividade

Com a facilitação gráfica, você pode usar ilustrações (e nem precisa ser um ás do desenho!), símbolos, gráficos, metáforas, lettering, ícones, esquemas e até cores diferentes para criar seus registros.

Além de bonito, o método permite que você procure por novos recursos visuais e saia da caixinha na hora de fazer anotações.

Pode ser usada em diversas situações

Os princípios da facilitação gráfica vão muito além de contextos formais ou acadêmicos. Você pode aplicar as técnicas em listas de tarefas, anotações rápidas durante um telefonema ou até nos seus diários de viagem.

E nem precisa ter um caderno nas mãos o tempo todo: aplicativos como o One Note, o Evernote, o aplicativo oficial da Moleskine e até mesmo o bloco de notas padrão dos smartphones permitem que você crie desenhos e textos no computador ou nas plataformas mobile.

Na internet, sites como o Mind Meister e o Canva possibilitam o uso de elementos gráficos e a personalização.

Centraliza e organiza a informação

Por deixar todo o conteúdo reunido em um único suporte (seja um caderno, documento ou aplicativo), a facilitação gráfica permite que você encontre todas as informações importantes no mesmo lugar de uma maneira clara, evidenciando a essência do debate.

É fácil de compartilhar

As anotações feitas com essa técnica são atrativas e podem ser facilmente compartilhadas, por deixarem conceitos mais simples, permitir a compreensão de ideias e explorar as referências que você possui.

Quer saber mais sobre o assunto? Então não deixe de ler este artigo que escrevemos com dicas práticas de facilitação gráfica! 

 

Comentários

Comentários