A nossa coluna de sugestões de livros ficou meio parada ultimamente na Make Mag. Porém, vamos voltar com tudo (as leituras continuaram por aqui, só faltou fazer as resenhas), postando uma sugestão de livro por semana.

A dica desta vez é o livro A sutil arte de ligar o f*da-se, de Mark Manson (The subtle art of not giving a f*ck, em inglês). Sabe aqueles materiais de auto-ajuda, que sugerem que você adote um pensamento positivo, para alcançar todas as coisas que deseja? Esse livro definitivamente não segue tal perfil.

Logo de cara, Mark sugere que nós precisamos entender que somos falhos e limitados. Sim, existem pessoas que são extraordinárias. Porém, a quantidade delas, comparada com o número de gente desse mundão, é mínima. Portanto, relax! Eu não sou especial, você não é especial e aquela pessoa que parece ser incrível não é especial também. Dito isso, eu e você estamos livres para sermos quem quisermos.

Ele diz tudo isso para apresentar a seguinte mensagem: precisamos nos acostumar com as nossas limitações. Dessa maneira, teremos menos medo de ousar, porque deixamos de ter aquele medinho de que as coisas possam dar errado (sim, elas podem dar errado. Mas e daí?!)

Dito isso, o livro A Sutil Arte de Ligar o F*da-Se compartilha algumas dicas básicas para levar uma vida mais leve e, consequentemente, mais feliz. Separei algumas das minhas favoritas. Olha só:

3 dicas do livro A sutil arte de ligar o f*da-se

a sutil arte de ligar o f*da-se“Felicidade é um problema”

Pare de desejar desesperadamente ter uma vida melhor. A partir do momento que você foca em todas as coisas que deseja ter, manda inconscientemente para o seu cérebro a mensagem de que algo está faltando (se você quer ter, é porque não tem).

Uma cena clichê quando se fala em felicidade em pleno 2018 é alguém viajando, com bastante dinheiro, curtindo a vida numa boa e sem preocupações. De acordo com Mark, esse cenário pode até nos deixar feliz por um tempo, mas logo passa. Para ele, o que de fato traz a alegria é conseguir solucionar problemas. Sabe aquela sensação de alívio quando tudo se resolve? Felicidade é isso.

Além disso, Mark também lembra que a gente pode escolher ser feliz todos os dias. Com as pequenas coisas da vida. E ele está certo, né?!

Diga não para o que não importa (e consequentemente sim para o que é bom)

É impossível ter tudo na vida ao mesmo tempo. O exemplo pessoal que Mark dá é da época que em que ele viajava muito pelo mundo inteiro. Era bacana, porém isso impedia que ele tivesse relacionamentos mais duradouros. A partir do momento que ele falou “não” para as viagens, acabou dizendo “sim” para um casamento, uma casa cheia de amigos e diversas outras experiências que foram positivas.

É importante ter em mente que dizer não para determinadas coisas é uma ferramenta para dizer sim para o que realmente importante. A chave da questão aqui é conseguir identificar o que é fundamental. Dica: em geral, as coisas que são mais importantes estão diretamente relacionadas aos seus valores pessoais.

No final das contas, todo mundo vai morrer

É meio dolorido lembrar que todos nós vamos morrer. Porém, de acordo com Mark Manson, precisamos ficar confortáveis com a certeza da morte. Ao ter isso em mente, fica mais fácil lembrar que precisamos aproveitar o nosso tempo. Ele também fala que o fato de que vamos deixar de viver traz um sentimento de construção de legado. Pensa bem: ninguém quer morrer, né?! Portanto, uma forma de “continuarmos vivos” é criando algo positivo, que traga um impacto na sociedade e torne a vida de outras pessoas mais leve.

Essas são apenas algumas das dicas que o Mark Manson compartilha no A Sutil Arte de Ligar o F*da-Se. Eu sugiro fortemente que você compre esse livro e devore o conteúdo. Depois, lembre de me contar o que achou, viu?! 😉

Comentários

Comentários