O verão tem alguma coisa mágica que deixa tudo melhor, não é mesmo?! Parece que durante essa estação a nossa rotina fica mais leve e divertida. O dia acaba em um encontro entre amigos, as comidas são mais leves, as roupas mais confortáveis…

Se você está triste porque o verão está acabando, aqui vai uma dica: dê uma olhada nas bolsas da Dolce Alba! Elas são fresquinhas e leves, assim como a nossa estação favorita, e podem ser usadas tranquilamente durante o outono (e o inverno, a primavera…).

Criadas em vime, pela maker Jaciara Busarello, elas são pra lá de charmosas! Conversamos com a Jaciara para entender um pouquinho mais sobre a sua marca. Olha só:

alba

Jaciara Busarello, fundadora da Dolce Alba, com suas criações

1 – De onde surgiu a sua vontade de começar a empreender?

A vontade de empreender surgiu devido aos meus pais terem uma empresa de artesanato de vime, quando participei de uma feira de inovação da minha universidade e também do Concurso de Planos de Negócios do SEBRAE. Pude colocar os planos em prática no ano passado e o resultado foi incrível.

2 – Como foi o processo de tornar essa ideia em uma marca?

O processo de construção da marca levou em média um ano. Foi a junção de várias coisas: universidade, empresa familiar e propósito.

Sou uma pessoa que questiona muito e que sempre busca minimizar os impactos no planeta. Nos anos em que eu estive na universidade, procurei fazer o mesmo e a partir disso surgiram vários questionamentos sobre desenvolver produtos com consciência e propósito. Como eu poderia criar novos produtos sem afetar tanto o meio ambiente num ciclo total e me realizar naquilo que estivesse fazendo? O objetivo principal era ter uma marca que tivesse a ver comigo e que fosse ambientalmente correta. Escolhi o vime pois é uma fibra natural que não usa agrotóxicos no cultivo e também vários outros aspectos positivos. Esse foi o ponto de partida. Hoje, a Dolce é uma marca vegana certificada pela PETA, com mão de obra artesanal de Rio dos Cedros, em Santa Catarina, que valoriza e incentiva o comércio justo, além de ter processo slow fashion.

bolsas_dolce_alba (1)

3 – Fale mais sobre a Dolce Alba!

A ideia da Dolce existe desde 2016 e o lançamento das duas primeiras linhas de bolsas aconteceu no ano passado. Todos os produtos são cocriados, ou seja, eu e os artesãos trabalhamos em conjunto. No início eu precisei aprender muito sobre o artesanato de vime para começar a criar. No estágio, desenvolvi uma metodologia específica para criar novos produtos nessa área, mas não tem receita especial, cada produto tem um desenvolvimento próprio e único. Geralmente, esse processo de criação começa por mim, mas algumas vezes vem por iniciativa dos artesãos também! Tiro a inspiração para criar os produtos da própria técnica do artesanato e da junção de vários aspectos de produtos. A criação não é linear, então é difícil explicar como surge cada produto.

4 – Quais são os seus planos para o futuro, como empreendedora?

Meus planos são levar a Dolce mundo afora, abrir uma loja própria no exterior e fazer dela um case de sucesso!

5 – Que dicas você daria para quem está pensando em empreender?

Não espere ter tudo 100% certo pra começar. Uma frase bem clichê mas que é sempre válida: comece com o que você tem. Você aprende o que precisar no caminho.

Comentários

Comentários