Fotos: Margaret Austin

Trabalhar de casa e de cafés é uma delícia e uma das liberdades aproveitadas por quem é freelancer. Mas vamos combinar: chega uma hora que a gente começa a sentir falta de socializar mais. Nesses momentos, os escritórios compartilhados podem ser uma excelente alternativa para quem quer ter uma rotina de trabalho criativa.

Foi justamente isso que aconteceu comigo na minha última ida a São Francisco, na Califórnia. Quem acompanha a Make Mag sabe que volta e meia eu viajo pra SF. Quando estou na cidade, costumo trabalhar de cafés (adoro!). Porém, nessa última temporada, decidi adotar um cantinho fixo como escritório. O escolhido foi o The Assembly, espaço que abriu oficialmente na cidade em janeiro de 2018.

Para você entender o que é o The Assembly, esqueça o conceito tradicional de coworking. O espaço não se intitula um escritório compartilhado, mas sim um clubhouse.

Cada cantinho do The Assembly é especial! Foto por: Margaret Austin

Cada cantinho do The Assembly é especial! Foto por: Margaret Austin

Vamos voltar um pouquinho no tempo e entender o que são esses tais clubhouses

Clubhouses são espaços muito comuns nos Estados Unidos, em que as pessoas se reúnem para realizar reuniões, socializar, participar de eventos exclusivos, etc. Para poder desfrutar desses ambientes, os membros devem pagar uma mensalidade, assim como nos clubes que existem no Brasil.

Esse conceito de clubhouse existe há alguns séculos nos Estados Unidos. Ex-alunos de universidades como Harvard e Stanford têm clubes exclusivos em diversas cidades do país. Porém, o negócio se tornou interessante de verdade (pelo menos para nós, mulheres) no final do século 19, quando Fanny Fern, foi impedida de entrar num clube masculino em Nova York que estava fazendo um jantar em homenagem a Charles Dickens.

clubhouses1

Aborrecida com esse fato, ela decidiu criar um clubhouse focado apenas em mulheres. Foi aí que nasceu o Sorosis, primeiro clube feminino da história americana. Depois disso, vários outros espaços similares foram criados. O objetivo deles era facilitar a construção de comunidade entre mulheres, além de servir como palco para o compartilhamento de conhecimentos relevantes, nas áreas de política, literatura, ciência, música, etc.

O clubhouse feminino hoje em dia

Um clubhouse feminino atual que ficou muito famoso (e que já foi divulgado várias vezes pela Make Mag) é o The Wing. A primeira unidade desse empreendimento, fundado por Audrey Gelman, abriu em Nova York.

Atualmente, após um aporte de 32 milhões de dólares do WeWork, o The Wing conta com seis espaços espalhados pelos Estados Unidos, com planos para abrir ainda mais ambientes.

As sócias do The Wing podem contar com atividades incríveis, que vão desde palestras com Sophia Amoruso e Hillary Clinton, até workshops profissionais e pessoais.

Foto: Margaret Austin

Foto: Margaret Austin

O The Assembly

Voltando a minha situação. Eu estava precisando de um ambiente para trabalhar em São Francisco. Portanto, optei por um clubhouse em vez dos tradicionais coworkings. O escolhido foi o The Assembly, por conta da sua localização, energia e comunidade.

Para início de conversa, o que mais me chamou atenção nesse ambiente foi a sua estrutura física. Ele funciona dentro de uma igreja centenária, que foi completamente renovada para abrigar o clubhouse.

Foto: Margaret Austin

Foto: Margaret Austin

A decoração dele é um assunto à parte, de tão linda. O design de interior foi realizado pelo casal Sara and Rich Combs, que são reconhecidos por terem uma das casas mais famosas do Airbnb, a Joshua Tree House. Ao entrar no The Assembly você se depara com muitas plantas, madeira, couro e tons terrosos.

Se o ambiente contasse só com essa estrutura, eu já estaria satisfeita para trabalhar. Mas o The Assembly vai além. Um dos seus objetivos é oferecer práticas focadas na saúde e bem estar das participantes. Portanto, eles contam com uma série de atividades físicas, que acontecem durante todo o dia num estúdio especial do espaço.

IMG_8201

Ainda na linha de saúde, o The Assembly oferece uma pequena cafeteria interna, que vende granolas, cafés, chás, kombuchas e snacks orgânicos e fabricados localmente. A geladeira do espaço também conta com uma série de saladas, sucos naturais e comidinhas para quem tiver fome durante o dia.

IMG_8196

Seguindo o conceito de construção de comunidade, tão valorizada nos clubhouses, o The Assembly oferece uma série de atividades para as suas sócias. São palestras, workshops, almoços especiais, bazares, rodas de leitura, visitas exclusivas em museus da cidade, aulas de surf (sim, até aulas de surf!) e idas para vinhedos de Napa Valley.

O dia está bonito? Então trabalhe do jardim! Foto: Margaret Austin

O dia está bonito? Então trabalhe do jardim! Foto: Margaret Austin

Não preciso nem dizer que fiquei completamente apaixonada pelo The Assembly, né?! Ansiosa para contar com um espaço como esse em Curitiba. <3

Para saber mais sobre o The Assembly, acesse: Instagram, site.

Comentários

Comentários